Notícias

Plataforma “Movimente-se” do Comitê Paralímpico Brasileiro impacta 200 mil pessoas em seis semanas

Terça, 07 de Julho de 2020, 08h37
Tecnologia da Comunicação/CBBd/HM
Tecnologia da Comunicação/CBBd/HM
A primeira temporada da plataforma “Movimente-se” chega ao final nesta semana, com o lançamento da sexta aula com atividades esportivas gratuitas on-line para pessoas com deficiência. O projeto foi lançado em 1º de junho pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) e já impactou mais de 200 mil pessoas pelo país.

Com o encerramento do primeiro módulo do programa de atividades, os vídeos com os exercícios físicos da plataforma online e gratuita tiveram um alcance de 238 mil acessos consciderando o site Movimento Paralímpico e as redes sociais do CPB.

Ao todo, já foram quase 100 horas assistidas por cadeirantes, paralisados cerebrais, amputados e deficientes visuais que nunca haviam praticado atividade física ou que estavam em busca de orientação profissional.

“Acreditamos no poder de transformação da vida das pessoas com deficiência pelo esporte e pela atividade física em geral. Estes números nos dão orgulho do trabalho que as diversas áreas do Comitê Paralímpico Brasileiro na criação, desenvolvimento e execução do Movimente-se, mas também trazem ainda mais responsabilidade de sermos um agente na inclusão de pessoas com deficiência na sociedade em todas as suas dimensões”, afirma Mizael Conrado, bicampeão paralímpico de futebol de cinco em Atenas 2004 e Pequim 2008, e presidente do CPB.

LEIA MAIS

A jovem Isabel Pereira Dias, 14 anos, e moradora de São Paulo, confirma a importância do projeto ao revelar que, com o Movimente-se, fez atividade física pela primeira vez após perder a visão devido a um tumor no cérebro que afetou o nervo óptico. “As aulas que mais gostei foram da prancha, polichinelo, e alongamento das mãos até os pés. Já a atividade de equilíbrio foi a mais difícil para mim”, recorda Isabel.  

Todo o conteúdo do Movimente-se é ministrado pelos técnicos do CPB e atletas paralímpicos, que demonstrarão como realizar exatamente os movimentos dos exercícios. Cada aula consiste em aquecimento, exercício principal e volta à calma (relaxamento).

Participam desta última aula três velocistas: o fluminense Fábio Bordignon, classe T35 (paralisia cerebral), a maranhense Rayane Soares, T13 (deficiência visual), o paulista Thomaz Ruan, T47 (amputação de braço) e o nadador gaúcho Roberto Alcalde, S6 (cadeirante).

O segundo módulo do Movimente-se já está em produção e a data do lançamento será divulgada nas próximas semanas pelo CPB.

Além disso, o CPB anunciou recentemente parceria com o "Be My Eyes", um aplicativo de origem dinamarquesa, que promove assistência de vídeo em tempo real para pessoas cegas ou com baixa visão que desejam praticar os exercícios. Para fazer contato direto com Be My Eyes, o e-mail é:community@bemyeyes.com. Já o Movimente-se também dispõe de assistência por e-mail: movimentese@cpb.org.br.

Assessoria de Comunicação do Comitê Paralímpico Brasileiro

CBBd no Twitter

Últimas Notícias CBBd

Mais Notícias