Notícias

3º lugar: Em Cerimônia COB reconhece CBBd em Programa Gestão, Ética e Transparência no Brasil

Quarta, 10 de Julho de 2019, 09h10
tecnologiabad
tecnologiabad
O Comitê Olímpico do Brasil (COB) apresentou na manhã desta terça-feira, dia 09, a evolução alcançada pelas 32 confederações que aderiram ao Programa Gestão, Ética e Transparência (GET). Desenvolvido pelo COB para aprimorar os processos administrativos das confederações utilizando um modelo de referência, o GET trouxe diversos benefícios às entidades que aderiram ao programa, como evolução organizacional estruturada, maximização da utilização dos recursos disponíveis, e aumento da transparência para patrocinadores e sociedade, entre outros.


Todas as confederações que implementaram o GET já possuem Comissão de Atletas e Planejamento Estratégico, por exemplo. Das 32 confederações que aderiram ao GET, 30 ampliaram a representatividade de atletas nas Assembleias e implementaram um canal de Ouvidoria; 20 um Código de Ética e 21 possuem agora Portal da Transparência.


A Confederação Brasileira de Badminton - CBBD, participante do Programa recebeu uma placa de reconhecimento ao trabalho desenvolvido na presença da diretoria do COB, integrantes do Conselho de Administração e Conselho de Ética da entidade.

Representando a CBBd esteve o Superintende da instituição, José Roberto Santini Campos. 


“Vimos aqui a importância de desenvolver políticas cuja matrizes consistem em disposições éticas e transparentes. Procuramos sempre investir nesses pilares de gestão. Além de um compromisso, é foco principal de nossas ações. Participar do Programa Gestão, Ética e Transparência foi como utilizar uma ferramenta ideal para a prática rotineira de nossas ações na CBBd e foi incrível, aprendemos muito e preparamos nossa modalidade para uma outra realidade, bem equidistante da que encontramos. Nesse momento de reconhecimento, nosso olhar especial à toda equipe, ao nosso presidente Francisco Ferraz, grande entusiasta e compromissado com o projeto, à nossa gerente administrativa, Ângela Scherer, incansável na busca de resultados, enfim, a cada colaborador que se empenhou e se compele diariamente para que esse projeto de modernização, gestão competente, com ética e transparência, siga o rumo natural do sucesso, como o que agora é reconhecido pela entidade máxima do desporto nacional”, disse Beto Santini.


Estiveram presentes ao evento desta terça, o presidente do COB, Paulo Wanderley, o vice-presidente Marco Antonio La Porta, o diretor-geral Rogério Sampaio; Bernard Rajzman, representante do Comitê Olímpico Internacional no Brasil e vice-campeão olímpico; além de representantes de 32 Confederações.


“As ações implementadas pelo COB através do GET estão trazendo mais independência e possibilidades de desenvolvimento às entidades que souberem aproveitar esse movimento. É fundamental o reconhecimento ao grande esforço realizado pelas Confederações Brasileiras Olímpicas nos últimos anos. Nosso objetivo é otimizar os recursos, reduzir custos e proporcionar aos atletas as melhores condições possíveis de treinamento e preparação”, diz Paulo Wanderley, presidente do COB.


A gerente do Escritório de Projetos do COB, Paula Neri, apresentou todas as fases do GET, desde a sua formatação para atender às diferentes realidades das Confederações, até resultados depois da adoção do programa pelas 32 entidades desde 2017. Entre eles estão a implantação de ouvidorias, aprimoramento da Governança, maior transparência e maior alinhamento estratégico das Confederações.

“O COB, quando percebeu que muitas das Confederações apresentavam dificuldades em comum, entendeu que com uma ação poderia ajudar a elevar a maturidade organizacional nessas entidades. O objetivo do GET é justamente dar suporte ao desenvolvimento na gestão delas, pensando sempre na atividade fim do sistema esportivo, que é a preparação dos atletas brasileiros para as principais competições do calendário”, disse Paula Neri.

Após a apresentação, o professor de Governança Corporativa, Compliance e Ética Empresarial da Fundação Dom Cabral, Dalton Sardenberg, ministrou palestra sobre o tema e em seguida, uma mesa redonda com as Confederações Brasileiras de Golfe, Desportos na Neve, Judô, Vôlei e Basquete, mediada pelo Professor da Fundação Dom Cabral, Jaci Tadeu, discutiu o cenário de gestão e os desafios de cada uma nos avanços do GET. 

“O esporte olímpico passou por um período de grandes mudanças no Brasil. Assim como os diversos setores da sociedade, o esporte acompanha a necessidade de modernizar seu modelo de gestão e a relação entre seus diversos agentes”, disse Rogério Sampaio, diretor geral do COB. “Através da melhor administração, teremos, sem dúvida, ainda mais sucesso”, completou o campeão olímpico em Barcelona 1992.

Para o presidente da Confederação Brasileira de Badminton – CBBd, Francisco Ferraz de Carvalho “esse reconhecimento advindo de pessoas capacitadas se mostra como o coroamento de um trabalho que deve ser constante de toda nossa equipe. Trabalhamos sempre com essas premissas, temos acertado muito, temos tentado outras tantas vezes, mas sempre com o propósito de colocar e manter nossa modalidade em um padrão de governança elevado, com destaque para a boa gestão, a transparência, o arrojo e a ética. E diante de todo esse compromisso veio esse projeto de COB, que como entidade parceira, norteia ainda mais nossas ações e pauta nossa gestão que hoje recebe essa valoração. Parabéns à nossa equipe, à CBBd, a todos nós e ao badminton brasileiro.”, destaca o presidente.

Links Relacionados (Clique nos links para visualizá-los) :

<

CBBd no Twitter

Últimas Notícias CBBd

Mais Notícias