Notícias

Jogos Olímpicos de Inverno de 2018 iniciam na sexta-feira, dia 9, na Coreia do Sul.

Quinta, 01 de Fevereiro de 2018, 11h15
Tecnologia da Comunicação/CBBd/HM
Tecnologia da Comunicação/CBBd/HM
A Coreia do Sul vai sediar, de 9 a 25 de fevereiro deste ano, os Jogos Olímpicos de Inverno PyeongChang 2018.  E vai aproveitar o momento para mostrar ao mundo não só sua força esportiva, mas também a arte, a cultura e o desenvolvimento econômico e tecnológico alcançado nos últimos 30 anos, que colocou o país na liderança mundial de equipamentos, veículos e aparelhos eletrônicos e de comunicação.

Jogos Olímpicos de Inverno de 2018, conhecidos oficialmente como os Jogos da XXIII Olimpíada de Inverno, mais comumente chamado de PyeongChang 2018, será um evento multiesportivo. Os jogos rivalizam em termos de interesse internacional com os Jogos Olímpicos de Verão, cuja última edição foi realizada no Rio de Janeiro, em 2016, com a Copa do Mundo e com o Super Bowl (futebol americano).

Serão os primeiros Jogos Olímpicos de Inverno e os segundos Jogos Olímpicos na Coreia do Sul, após a realização dos Jogos Olímpicos de Verão de 1988 em Seul. PyeongChang será a terceira cidade da Ásia Oriental a sediar os Jogos Olímpicos de Inverno depois de Sapporo em 1972 e Nagano em 1998.

Cerca de 3 mil atletas de 95 países vão participar das competições. Ao todo, serão realizadas 102 finais em 15 modalidades de inverno, com transmissão ao vivo pela televisão para todo o mundo.

A escolha da sede foi feita durante a 123ª Sessão do Comitê Olímpico Internacional, que aconteceu em Durban, África do Sul, em 6 de julho de 2011. Outras cidades que também se candidataram para sediar os jogos foram Annecy na França e Munique na Alemanha. PyeongChang venceu após sua terceira tentativa consecutiva, tendo sido derrotada por Vancouver em 2010 e Sóchi em 2014.

PyeongChang, na Coreia do Sul, foi escolhida como sede dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2018 pelo Comitê Olímpico Internacional por meio de votação e recebeu um total de 63 votos, contra 25 de Munique e 7 de Annecy.

Apesar de o clima brasileiro ser mais favorável aos esportes de verão, o Brasil enviará uma delegação com nove atletas e mais um reserva. O país conquistou vaga em cinco modalidades: esqui alpino, esqui cross country, snowboard, bobsled e patinação artística.

A delegação brasileira será formada por Isadora Williams (patinação artística); Edson Bindilatti, Odirlei Pessoni, Rafael Souza, Edson Martins e o reserva Erick Vianna (bobsled); Michel Macedo (esqui alpino); Jaqueline Mourão e Victor Santos (esqui cross country); e Isabel Clark (snowboard).


Confira 10 curiosidades sobre os Jogos Olímpicos de Inverno:

1 - O maior evento de inverno de todos os tempos: Com 2.925 atletas de 92 países, a edição de 2018 dos Jogos de Inverno será a maior de toda a história da competição. Os números de PyeongChang superam os de 2014, em Sochi, na Rússia, onde estiveram 2.858 competidores de 88 nações.

2 - Acordo histórico entre as Coreias: Um acordo entre a Coreia do Sul e do Norte entrou para a história. Apesar de todo o conflito que envolve os dois países, a do Norte vai disputar o torneio e enviará 22 atletas de três modalidades e cinco disciplinas diferentes para PyeongChang. Além disso, os dois países vão formar uma única equipe no hóquei feminino, que terá 12 jogadoras do Norte e 11 do Sul.

3 - Rússia parcialmente banida: A edição da Coreia do Sul será marcada pela ausência da Rússia na competição devido aos escândalos de doping que atingiram o país em 2016. De 30 a 35 atletas russos poderão disputar os Jogos em cinco categorias, mas sob bandeira neutra.

4 - Cerimônia de abertura mais fria dos últimos 20 anos: A cerimônia de abertura da competição vai acontecer no estádio Olímpico de PyeongChang, mas, como o local não é coberto, o público enfrentará uma sensação térmica de -14ºC. Para evitar que os visitantes sofram hipotermia, a Coreia do Sul adotará uma série de medidas, como a distribuição de cobertores.

5 - PyeongChang ou Pyeongchang?: Em janeiro de 2016, para que turistas e atletas não viajassem por engano a Pyongyang, capital da Coreia do Norte, a prefeitura mudou a grafia do nome de PyeongChang, que antes era escrito com "c" minúsculo.

6 - "Time Brasil" com 10 atletas: Os esportes disputados nos Jogos de Inverno não são tão comuns no Brasil. Mas ainda assim, o Comitê Olímpico Brasileiro (COB) vai enviar 10 atletas em cinco modalidades para a Coreia do Sul. O país terá representantes no snowboard, na patinação artística, no esqui alpino e de fundo e no bobsled.

7 - Das telonas para a vida real; Jazmine Fenlator-Victorian e Carrie Russell serão as primeiras jamaicanas da história no bobsled feminino dos Jogos. O fato inédito relembra o filme "Jamaica abaixo de zero", quando o time jamaicano do bobsled masculino participa pela primeira vez das Olimpíadas de Inverno. 
8 - Maior delegação da história: Com 242 atletas, os Estados Unidos vai levar a maior delegação da história dos Jogos Olímpicos de Inverno. A equipe possui 107 mulheres e 135 homens, que competirão em todas as 15 disciplinas.

9 - "Millennial" italiana: A Itália contará com 121 representantes nos Jogos de PyeongChang, incluindo 48 mulheres. Uma delas é a esquiadora Lara Malsiner, de 17 anos, que será a primeira "millennial" a integrar o time azzurro nas Olimpíadas de Inverno. Enquanto isso, o mais velho da equipe é Roland Fischnaller, 37, que competirá no snowboard.

10 - Porta-bandeira de Tonga: Ele tirou o fôlego de muitas mulheres no desfile de abertura das Olimpíadas de 2014, no Rio de Janeiro, ao aparecer carregando a bandeira de Tonga com seu corpo coberto de óleo de coco. Pita Taufatofua voltou a colocar o pequeno país da Oceania na história das Olimpíadas, desta vez nos Jogos Olímpicos de Inverno e estará em ação no esqui de fundo.

Fonte: Agencia Brasil e Esporte - iG
<

CBBd no Twitter

Últimas Notícias CBBd

Mais Notícias